O Batismo produz em todos a atitude de Jesus e é testemunhado a cada dia
11/01/2016 07:43 em acidigital.com

Depois de celebrar aMissa do Batismo do Senhor na Capela Sistina e batizar 26 crianças, o Papa Francisco rezou o Ângelus da janela do Palácio Apostólico.

O Santo Padre pediu para lembrar o dia em que cada um foi batizado e lançou uma tarefa: que todos saibam o dia e o lugar em que foram batizados. “O batismo é recebido apenas uma vez, mas é testemunhado todos os dias, porque é vida nova que deve ser compartilhada e luz que deve ser comunicada, especialmente àqueles que vivem em condições que não são dignas do homem e andam por caminhos escuros”.

Francisco falou também sobre como a ação do Espírito Santo dissipa as trevas, e a soberba e a intolerância dão lugar à mansidão e à humildade.

“Jesus foi consagrado e manifestado pelo Pai como o Messias salvador e libertador”, explicou ao comentar o Evangelho. “De fato, no Batismo cristão, o Espírito Santo é o artífice principal: é Ele que queima e destrói o pecado original, restituindo ao batizado a beleza da graça divina”.

É “aquele que nos liberta do domínio das trevas, isto é, do pecado, e nos transfere para o reino da luz, ou seja, do amor, da verdade e da paz”, disse o Papa. 

Francisco pediu para pensar na “dignidade a que o Batismo nos eleva”, que leva todos os homens a ser “filho de Deus”, o que comporta “a responsabilidade de seguir Jesus, o Servo obediente, e reproduzir em nós mesmos os seus traços: mansidão, humildade, ternura”.

“Isso não é fácil, especialmente se nos circunda tanta intolerância, soberba e dureza”. Mas, “é possível com a força que nos vem do Espírito Santo!”, assegurou.

O Espírito Santo, “recebido pela primeira vez no dia do nosso Batismo, abre nossos corações para a Verdade, toda a Verdade. O Espírito impulsiona nossa vida ao caminho comprometido, mas alegre, da caridade e da solidariedade com nossos irmãos”.

“O Espírito nos doa a ternura do perdão divino e nos dá a força invencível da misericórdia do Pai”.

O Pontífice convidou a não esquecer que o Espírito Santo “é uma presença viva e vivificante em quem o acolhe, ora em nós e nos enche de alegria espiritual”.

Hoje, “reafirmemos nossa adesão a Jesus, com o compromisso de viver como cristãos, membros da Igreja e de uma humanidade nova, na qual todos somos irmãos”, solicitou.

“Quem de vocês sabe a data de seu Batismo?”, perguntou. “Seguramente não todos, por isso, convido-os a buscar a data perguntando, por exemplo, a vossos pais, avós ou padrinhos ou indo à paróquia. É muito importante conhecê-la porque é uma festa a comemorar. É a data de nosso nascimento como filhos de Deus”.   Então, “uma lição de casa esta semana: procurar a data do Batismo”.

Ao concluir, pediu que a Virgem Maria “nos ajude a viver com alegria e fervor apostólico o nosso Batismo, acolhendo todos os dias o dom do Espírito Santo, que nos faz filhos de Deus”.

Depois da oração, o Papa enviou “uma bênção especial” para todas as crianças que foram batizadas recentemente, mas também aos jovens e adultos que receberam há pouco tempo os Sacramentos da iniciação cristã ou que estão se preparando para recebê-los. “Que a graça de Cristo os acompanhe sempre!”.

 

COMENTÁRIOS
Tradutor / Translator